das coisas boas da vida

não tenho dúvidas de que sou uma pessoa cheia de sorte. às vezes queixo-me, lamento-me, mas a verdade é que tenho de dar graças. não é toda a gente que pode afirmar que trabalha com um grupo de pessoas especial… eu posso. eu, a mais nova, a “caçulinha” do grupo, dou graças por ter como companheiros de equipa estes que tenho.